Aeronave, Caça, FAB, Gripen NG -

Conheça o Gripen NG, a nova aeronave da FAB

Até julho deste ano, o Gripen NG (Next Generation) realizará seu primeiro voo de teste, garantiu a empresa sueca Saab. A aeronave está em uma das etapas finais de montagem, sendo equipada com toda a parte eletrônica de bordo, unidade de energia auxiliar (APU), motor, radar, canards e a cobertura da cabine de pilotagem. Ao fim desta fase, serão instalados os softwares de controle, e então a aeronave será verificada antes de a Saab proceder com a simulação dos sistemas em solo.

A Força Aérea Sueca entregará as primeiras aeronaves operacionais – ou seja, aquelas que vierem após o modelo de teste – a partir de 2021. Já os aviões produzidos na unidade brasileira, em São Paulo, devem chegar à Força Aérea Brasileira em etapas: primeiro os modelos monopostos (para um piloto), em junho de 2020; depois, os bipostos (para dois pilotos), de setembro de 2023 a novembro de 2024.

Em 2006, foi lançado o programa FX-2, que tem como objetivo modernizar a frota de aeronaves supersônicas da FAB. Após licitação realizada pelo governo federal, o Gripen NG, apresentado pela Saab, foi declarado o modelo vencedor do processo em dezembro de 2013. A aeronave substituirá os caças de combate F-5 e Mirage.

De acordo com o Ministério da Defesa, o contrato de US$ 5,4 bilhões inclui a compra de 36 aeronaves, a logística inicial, o treinamento, os simuladores de voo e os projetos de transferência de tecnologia e cooperação industrial. A Força Aérea Sueca também encomendou 60 exemplares do Gripen NG.

A partir das tecnologias transferidas, o Brasil poderá produzir seus próprios aviões de combate, sem a necessidade de importar aeronaves para suas frotas. Essa etapa deve acontecer após 2040, quando o Gripen NG for aposentado.

Sobre a aeronave

O Gripen NG é um monomotor supersônico – ou seja, pode voar na mesma velocidade que o som, ou acima dela. Geralmente, as aeronaves supersônicas precisam de um pós-combustor para atingir essa velocidade, mas esse não é o caso do Gripen NG.

Entre outros recursos, as novas aeronaves terão mísseis de interceptação aérea, mísseis ar-solo orientados por radar, bombas guiadas a laser, sensores infravermelhos de busca, perturbadores de radar e de rádio.

Uma das vantagens do Gripen NG é a flexibilidade na utilização de armamentos. Isso permite o emprego de armamentos de fabricação nacional – como o míssil A-Datrer de 5º, desenvolvido por meio de uma parceria entre Brasil e África do Sul. A aeronave também possui um sistema de reabastecimento em voo, o que possibilita a defesa aérea em lugares remotos do país.

Outro ponto positivo é a tecnologia NCW, ou Guerra Centrada em Rede, em português. Por este recurso, todos os aviões em voo e os centros de controle farão parte de uma única e complexa rede. Assim, o quartel e os órgãos de inteligência serão capazes de acompanhar o desenrolar do combate, além de melhorar a precisão do piloto em uma missão.

 

* Atualização: 02/09/2019 às 17h45

Na manhã do último dia 26, o Gripen finalmente realizou seu primeiro vôo. O caça decolou da pista de Liköping, na Suécia, e pousou depois de 65 minutos de testes (manobrabilidade e desempenho aéreo). De acordo com o piloto e chefe do programa, Richard Ljungberg, "o vôo foi tranquilo e confirmou o que era esperado a partir das simulações de engenharia".

 

 

Infográfico Caça Gripen NG - Almox Militar

Escrito por Monique Souza.

Fontes: Ministério da DefesaAeromagazinePoder AéreoAirway e Estadão.

Newsletter


Deixe um comentário

Posts relacionados

Sale

Indisponível

Fora de estoque